Taquari, 22 de Maio de 2018
NOTÍCIAS
12/01/2018
MISTURA FINA: Membro da comissão externa de licitação responde a crítica sobre a pouca atuação do gr

Na edição passada, o Mistura Fina falou sobre a pouca atuação por parte dos membros da Comissão Externa de Acompanhamento dos Processos de Licitação, formada por representantes da sociedade civil. Nesta semana, em resposta à publicação, um dos integrantes, o empresário Maicon Costa, manifestou sua opinião, destacando que o colegiado desenvolve “um belo trabalho, não só à Prefeitura, mas sim, a todo o Município, no momento em que seus integrantes despendem tempo sem remuneração para avaliar todos os processos licitatórios de nosso município. Esse trabalho é desenvolvido através de e-mails com os processos que nos são enviados e realizamos as avaliações e considerações, não sendo necessária a presença dos membros nos atos de assinatura dos contratos”, disse, através de e-mail.  
Ele citou como exemplo da atuação da comissão a licitação da obra de reforma do prédio do Antigo Seminário Seráfico, onde será instalado a ZANC. “A  comissão de licitações solicitou à Prefeitura que fosse acrescida a este contrato específica, uma cláusula onde constasse a “criação de uma comissão externa específica para tal obra, devido ao fato de ser uma obra com valores altíssimos e que irão onerar os cofres do Município por muitos anos. Tal comissão entende ser necessária, visto que se trata de um Patrimônio Público, que num futuro próximo poderá ser doado para a ZANC, bem como poderá não haver esta doação, caso a mesma não atinja os critérios contratuais”, destacou, completando que se trata de um trabalho silencioso e que se norteia pela responsabilidade dos membros.
No entanto, o Mistura Fina destaca que acompanhar as sessões de abertura e de julgamento de quaisquer licitações também está entre as atribuições dos membros, como define o item cinco do artigo 3º da lei 3.861/2015, que cria a comissão externa de acompanhamento. Questionado, Maicon entende que a sua colaboração “é muito mais efetiva na avaliação dos editais, analisando questões técnicas, como por exemplo, documentações a serem exigidas das empresas participantes; quando necessários, documentos comprobatórios de capacidade técnica das empresas interessadas em participar de alguma licitação, etc., antes dos mesmos serem publicados”. Com relação à presença nas sessões de abertura, afirmou que “acredito que na Prefeitura Municipal de Taquari haja profissionais capacitados para desempenhar este papel, visto que são, na sua maioria, servidores de carreira do Município, não cabendo a mim a decisão de mudar o artigo 3º da lei que criou a Comissão externa”.
 
Carro pega fogo no Centro
 
Um caso inusitado causou tumulto na Rua 7 de Setembro, Centro, no início da tarde de ontem. Conforme testemunhas, um motorista precisou parar um Fiat Uno, próximo à Ótica Karla,  após perceber que o carro estava pegando fogo.
“Estava descendo a rua quando saiu uma labareda de fogo pelo capô. Aí na hora eu parei o carro e vieram me ajudar”, relata o motorista Vander Pereira Becker, 33 anos, padeiro.
Israel Santos, proprietário da Zeladoria Santos, ajudou a socorrer o motorista. Segundo ele, foram utilizados sete extintores de incêndio, dos estabelecimentos comerciais próximos, para apagar o fogo. 
“Graças a Deus não aconteceu nada, foi mais o susto”, desabafa Vander, aliviado. O carro foi levado para oficina para saber o motivo do incêndio.
 
Daer divulga recuperação da Aleixo Rocha
 
Nesta semana, a assessoria de imprensa do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem – Daer divulgou  que, com a proposta de estimular o desenvolvimento da região do Vale do Taquari, a Secretaria dos Transportes assinou, nesta quarta-feira (10), a ordem de início para a recuperação completa da ERS-436, Rodovia Aleixo Rocha, em Taquari.
“É de extrema importância que essa rodovia seja recuperada, contribuindo para o escoamento da safra e, principalmente, a segurança de quem trafega pela via”, afirmou o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen. A ERS-436, entroncamento com a RSC-287, é o principal acesso, único asfaltado, dos taquarienses ao município.
A assinatura aconteceu no gabinete do secretário Westphalen. Segundo a assessoria, a responsável pela obra é a Construtora Giovanella LTDA e os serviços englobam fresagem, revestimento asfáltico e sinalização nos 11,64 quilômetros que abrangem toda a extensão da rodovia.
Na ordem de serviço da contratação da empresa para a realização da obra, consta que serão realizados 35 remendos na rodovia.
 
Rua Vereador Praia volta a ter Ponto de Táxi
 
O prefeito Maneco assinou no mês passado o decreto que cria dois pontos coletivos de táxi. Um deles, fica na Rua Vereador Praia, entre as ruas Osvaldo Aranha e Sete de Setembro, onde já teve o ponto e, atualmente, ocorre a feira do produtor, aos sábados, mas que será mantida. O segundo é o ponto da Rua Marechal Deodoro, em frente ao Hospital, que também passa a ser coletivo. Outro decreto aloca os proprietários de placas: Sérgio Santos da Silva; Velotil Pereira Caminha e Pedro Valdeci Santos da Silva para o ponto da Vereador Praia.
 
Dono de bar acredita que objeto encontrado no Capão é arma utilizada na Revolução Farroupilha
 
Sílvio Lopes, proprietário do Bar do Silvinho, que fica na área de camping no Capão, guarda vários objetos que são encontrados pelos fregueses. Entre eles, se destaca um semelhante a uma baioneta, um tipo de sabre, desenhado para encaixar na ponta de fuzis. Para ele, a arma deve pode ter sido utilizada em uma batalha da Revolução Farroupilha.
“Provavelmente, até porque os farrapos lutaram aqui no rio”, afirma. De fato, conforme apurado pelo Mistura Fina, uma batalha envolvendo 13.000 homens aconteceu no município, no dia 3 de maio de 1840. As forças legais, sob o comando do General Manoel Jorge Rodrigues, que possuía sete mil homens, lutou contra o exército republicano, comandado pelo General Bento Gonçalves da Silva, com seis mil homens. Entretanto, a batalha não teve resultados decisivos.
 
Sem respostas
 
O Mistura Fina enviou à prefeitura, na semana passada, questionamentos sobre o gasto com a colocação de placas de trânsito, muitas em substituição às destruídas pela ação de vândalos. Em várias ruas do Centro não há identificação do sentido, colocando em risco motoristas, especialmente de fora de Taquari, e pedestres. 
Porém, a prefeitura não informou os dados nem a previsão de colocação da sinalização.
Também, no mês passado, o Mistura Fina questinou sobre o gasto para limpeza dos monumentos que são pichados, mas também não obteve resposta.
 
 
 
 
 

 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por