Taquari, 20 de Fevereiro de 2018
NOTÍCIAS
19/01/2018
Presidente do Legislativo manifesta-se sobre situação de Clóvis Bavaresco

Nesta quarta-feira, dia 17, ocorreu mais uma sessão ordinária. Nela, o presidente do Legislativo, Zé Harry (PDT), manifestou-se sobre a situação do colega Clóvis Bavaresco (PP). 
Conforme divulgado em O Fato Novo, o progressista fez comentários nas redes sociais depois que a deputada federal Maria do Rosário (PT) foi assaltada e lamentou que ela não houvesse sido estuprada pelos bandidos. 
A publicação gerou polêmica e repercutiu nacionalmente. E, na sessão anterior, ocorrida no início de janeiro, os vereadores Ramon Kern (PT) e Leandro Mariante (PT) pediram uma posição do presidente do Legislativo.
Segundo Zé Harry, o regimento interno da Câmara não define a quebra de decoro. Entretanto, por orientação da empresa Delegações de Prefeituras Municipais (DPM), o Legislativo pode optar pela abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Para isso, é necessário que um terço da Câmara (ou seja, três vereadores) solicitem a CPI. “Esse é o caminho a ser tomado”, comentou.
Entretanto, o presidente do Legislativo afirmou que não concorda com a ação. “Não sou a favor de cassar o Clóvis. Acho que a posição do Clóvis não é uma condição para fazer CPI”, disse. 
Por fim, Zé Harry afirmou que pretende se reunir com os demais vereadores para modificar o regimento interno da Câmara e estabelecer o que é quebra de decoro. “Vamos buscar exemplo em municípios próximos de nós para ver como se dá a quebra de decoro e a gente estabelecer para nós.”
Clóvis não se manifestou sobre a decisão. Até o momento, nenhum vereador se manifestou quanto à abertura da CPI. 
 
“Nós precisamos trazer a comunidade para a Câmara”
 
Como de costume, as cadeiras do plenário estavam vazias. E a ausência de pessoas não passou despercebida pelo vereador Leandro Mariante (PT). 
“Acho que é um trabalho que nós temos que fazer, que é trazer a comunidade para a Casa. Há uma distância entre o eleitor e o Legislativo, e acaba por muitas vezes com uma interpretação errônea sobre o trabalho que o vereador desenvolve”, afirmou.
Segundo ele, a Câmara de Vereadores vem respondendo por todos os problemas que acontecem na cidade. E, muitos desses problemas, não são de responsabilidade do legislativo. 
“Não é que a comunidade vem agindo com má intenção. Mas ela vem aqui porque a representatividade dela está aqui. Nós não estamos conseguindo trazer a comunidade para o debate.”
Para isso, ele pede que os colegas encontrem uma maneira de se aproximar da população. “Quem sabe o caminho é irmos para o debate, ir até os bairros”, comentou.
 
Projeto de Lei que institui Programa Municipal de Microcrédito é aprovado
 
Durante a sessão, foi aprovado, por unanimidade, um projeto de lei que institui o Programa Municipal de Microcrédito e Economia Solidária. Conforme o documento, o objetivo é promover o desenvolvimento econômico e social mais harmônico e formar programas de parceria para captação e destinação de recursos.
O programa será destinado ao financiamento de pequenos empreendimentos, formais ou informais, formado por pequenas empresas, cooperativas, empreendedores solidários entre outros. Os trabalhos serão coordenados pela Secretaria Municipal da Fazenda. Entretanto, o documento não especifica como funcionará o programa.
Na exposição de motivos, assinada pelo prefeito Maneco, consta que o programa pretende aumentar os níveis de ocupação e renda nas camadas sociais mais baixas, por intermédio da concessão de crédito produtivo orientado. 
 
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por